sábado, 28 de maio de 2016

Um dia dedicado ao não-esquecimento.

Um dia dedicado ao não-esquecimento.

A violência que acomete uma mulher diz respeito a todos nós – mulheres e homens –, mesmo que essa violência não nos atinja diretamente.

A violência que acomete uma mulher diz respeito a todos nós, pois, longe de se tratar de uma história particular, de um caso isolado, se inscreve em um quadro mais amplo, em uma estatística perversa que demonstra o quanto as mulheres ainda são tratadas com inferioridade no mundo.

O dia de hoje traz uma triste lembrança para esta cidade.

Porém, apesar da consternação que nos provoca, esperamos que este seja um dia de não-esquecimento.

Não podemos esquecer que, no mundo, 7 em cada 10 mulheres já foram ou serão violentadas em algum momento da vida.

Não devemos esquecer que 35% de todos os assassinatos de mulheres no mundo são cometidos por parceiros íntimos.

É um dia para não esquecer que muitas mulheres estão infelizes em seus casamentos, mas não se separam por medo da reação de seus parceiros.

É um dia para não esquecer que, no Brasil, 5 mulheres são espancadas a cada 2 minutos. E também que o parceiro íntimo é responsável por 80% das violências contra mulheres.

É preciso lembrar que 1 mulher é estuprada a cada 11 minutos no Brasil. Porém, estima-se que, na verdade, a ocorrência seja 10 vezes maior, porque as mulheres têm medo ou vergonha de denunciarem seus agressores.

Não podemos nos esquecer que mulheres vítimas de violência sexual têm medo de denunciar seus agressores porque são muitas vezes julgadas pela sociedade, como se fossem responsáveis pelo crime que as vitimou, por causa da roupa que vestiam ou da hora em que saíram à rua.

É preciso lembrar que a morte e o estupro são a face mais cruel do machismo, mas que o machismo também se manifesta na forma de uma palavra rude, de menosprezo, de assédio, de agressão física e moral, de salários desiguais, de divulgação sem consentimento de imagens íntimas na internet.

Enfim, por serem tantos os casos de violências sofridas por mulheres é que não podemos esquecer que, mesmo que não tenha ocorrido com a gente, aquela história poderia ter sido nossa.

Por Isabel nos reunimos hoje.
E nos reuniremos sempre...

Porque: se queremos um mundo melhor, mais igualitário, onde mulheres não sejam consideradas um ser humano inferior, não sejam consideradas posse de ninguém, é nosso dever não esquecer!
A Isabel, à memória de Isabel, é dedicada a nossa luta.

                             Chapada Gaúcha - MG, 28 de maio de 2016.

                              Movimento de Mulheres Sertaneja

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Política Cultural se faz com investimento e respeito!




Estava aqui pensando: final de ano é tempo de fechar ciclos!
É tempo em que estamos relatando, poetizando, fechando, firmando e aguardando.
Tudo no gerúndio. Mesmo sendo “fora de moda”, demonstra processo, em tempos ágeis e de textos curtos. Aprendi isso numa destas incansáveis reuniões de Comissão Nacional de Pontos de Cultura.

Planejando as ações para 2016, fiquei a pensar. Com o corte bruto no orçamento da Cultura, o  Ministério da Cultura (MinC) sobreviverá com menos de 40% do orçamento esperado. Destes, nem sei quanto destinarão ao programa Cultura Viva. Sem contar que o próximo ano é ano de Teia (Encontro Nacional dos Pontos de Cultura com etapas estaduais já agendadas). Será um ano em que vários editais foram remanejados de 2015 para serem pagos em 2016.  

Escute só a emergência.

Do lado de cá, o Governo de Minas Gerais apresentando (no gerúndio mesmo) a SEC e a proposta de descentralização das políticas culturais. O que vi foi a descentralização do foi a decisão de demissão do então secretario adjunto no diário oficial. Descentralizou para dentro do gabinete, triste. Ampliação da Rede de Pontos de Cultura? Que é isso? Fundo Estadual de Cultura? Circulação? Pra quê? E Mariana? Lama.


Já na minha cidade, nem as luzes de natal se acenderam como antes. O Ponto de Cultura continua respirando. De fé. Mas continua! Continuará. Tambores não param, viola não fica no saco, poesia é lançada no tempo, mas "os meninus tem hora que vão embora!", como já dizia mestra Lorença quando soube do final do projeto. Firma, Santos Reis.

Mesmo assim, conversa de boa atleticana e de uma moça de fé, continuamos acreditando (também no gerúndio).

Isso não é discurso da dor não, nem choradeira. É real e está batendo na nossa porta. Desejo com este texto fazer um chamado para iniciarmos um processo profundo de mediação!

Pois bem. Que comecemos uma agenda em nossos territórios aliando ações culturais e orçamento. Direitos Culturais. Para isso, é preciso entender melhor os projetos de reforma que tramitam na Câmara.

PRÓ CULTURA, meu povo. O projeto de reforma da Lei Rouanet está para ser aprovado, ou não. Lutemos pelo tão sonhado 1% do orçamento para a Cultura. É a nossa bandeira por toda América Latina e Centro América!

Sem o giro, não há Política, temos que andar. Basta de previsão orçamentária de alento. Não é urgência e nem preferência, queremos Política Cultural. Não dá para cortar a pasta da Cultura quando na verdade já somos cortados! Digo isso também pela pasta de Meio Ambiente.

Política Cultural se faz com investimento.

E depois de tudo isso, ainda tem quem diz que nós do Norte  somos  os “culpados” por tudo isso. Gente que tem muito e paga pouco. Gente que só ouviu falar do Norte pelo lado do “do que não temos”. Mantras induzidos para justificar o Norte do ponto de vista do Sul. Mesmo o senhor Said, lá das bandas do Oriente, dizendo que o Sul só existe porque inventaram o Norte, olhe isso! Espie só!

A questão maior é que não conseguimos nem olhar para dentro de nós mesmos e ver a parcela que temos nesse processo de crise da humanidade. É isso mesmo, todos nós temos uma parcela nesse momento em que "indireitar" não é mais papo de mãe e pai pra “filho rebelde”. Mas sim a usurpação dos direitos; pilhagem do Estado; é a materialização da PEC 2015; homofobia, intolerância religiosa; privatizações; disputas hegemônicas pelos espaços públicos (aeroporto é o mais real e visível), mandatos de segurança sobre útero alheio.

O que desejamos: rumo às mediações orçamentárias

 

Giremos a roda das mediações orçamentárias, pois "o fazer muito com pouco dinheiro", nós, Pontos de Cultura do Brasil, sabemos de cor e salteado. Esta é nossa autobiografia, meus caros e minhas caras.

Sugestão: Limpeza nas próximas eleições, divulgação dos deputados e senadores corruptos e dos que são movidos por interesses de grupos econômicos. Para isso, precisamos olhar para dentro de casa e perceber nossa postura no mundo. Primeiro eu melhoro, depois o mundo.

Votemos naqueles que defendem o real interesse do povo brasileiro. Estes logo se revelam, pois nem sempre suas campanhas tem muito investimento. Garanto que não estão do lado da bancada BBB (boi, bala e bíblia)! Lembremos: Empresa não pode votar e muito menos camuflar campanha. Ninguém que prega o ódio ao outro usando as palavras de Cristo pode estar bem para comandar um país. E aquele que faz campanha usando a Seca como escada, não pode fazer política a partir do cano.

Desejamos ampliar horizontes. Mostrar que o fazer e pensar Cultura de Base Comunitária como proposta de desenvolvimento para o País! Já teorizada e comprovada, Cultura também é desenvolvimento. Nesse sentido, pensamos a Cultura dentro dos quatro pilares do desenvolvimento: Ambiental, Social, Econômico e Cultural. Infelizmente na Conferência Rio+20, insistimos nos três primeiros, mas  modifica e não opera sobre a transformação.

Que o Rural seja trazido enquanto potência! Precisamos tê-lo na roda do orçamento e das Políticas Culturais!

Aí, fechamos os pedidos de final de ano!

Olha que lindeza. Que sonho, que desejo. Chamo isso de amor e poder, juntos!

Bom, fico por aqui.
Até a próxima! Como dizem os foliões ao final do Giro da Folia de Reis.

Vi que amanhã é dia de Conferência da Juventude, busca de agenda junto a Funarte e Palmares. E, também, encontro do Conselho Nacional de Políticas Culturais e Conferência Indígena. Axé!

Depois disso tudo, creio que nos encontramos após do carnaval.

Neste "entre", estaremos no Giro da Folia de Reis e no Bois de Reis. Fazer o quê, pois pra nós aqui além de tradição e devoção, é trabalho!

Fé e pé na estrada!

Política Cultural se faz com respeito e investimento!
Rumo às mediações orçamentárias!

Norte de Minas, 15 de dezembro de 2015.


Por Damiana Campos
Instituto Rosa & Sertão.
Ponto de Cultura Seu Duchim Gerais


Foto 1 e 2:: Leo Lara. Ponto de Cultura - Manuelzinho-da-Crôa e Caixeiras, Encontro dos Povos do Grande Sertão Veredas
Foto 3: Diana Campos - Grupo Manzuá - Quilombo Retiro dos Bois, no Ponto de Cultura.



segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Edital “Viagem pelo Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu: reconhecimento dos roteiros turísticos pelas comunidades de base”





               
 
Edital “Viagem pelo Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu: reconhecimento dos roteiros turísticos pelas comunidades de base”
O Instituto Rosa e Sertão, de Chapada Gaúcha, Minas Gerais, e a Ong Casa Comum, com sede em Carrancas/MG, convidam para a “Viagem pelo Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu: reconhecimento dos roteiros turísticos pelas comunidades de base”, a ser realizada entre os dias 10 e 23 de novembro de 2015.
A ação “Viagem pelo Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu: reconhecimento dos roteiros turísticos pelas comunidades de base” é uma proposta de viagens pelo Mosaico e suas belezas que serão realizadas por pessoas vinculadas ao turismo comunitário nos municípios integrantes do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu (MSVP).
O convite é para uma experiência de viagem realizada e ofertada pelas comunidades de base do Projeto Turismo Ecocultural no MSVP, financiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa e executado pelo Instituto Rosa e Sertão.
Essa chamada pública é dirigida a todas as comunidades do Mosaico, em especial aos atores comunitários que estão envolvidos com a construção do turismo no território. É um convite para que todos possam vivenciar os roteiros turísticos do MSVP!
Serão realizados dois roteiros de viagem: “Do Grande Sertão ao Peruaçu”, com saída em 10/11/2015 e retorno em 16/11/2015, e “Do Peruaçu ao Grande Sertão”, entre 17/11/2015 e 23/11/2015.   
É uma oportunidade única para experimentar os passeios de ecoturismo no Mosaico, conhecer os atrativos, participar de vivências culturais e, principalmente, conhecer de perto como outras comunidades recebem visitantes e enfrentam os desafios de organização do turismo. Serão promovidos diálogos e articulações com o objetivo de  união de esforços entre as comunidades que ofertam o turismo comunitário, de modo a fortalecer os laços de identidade entre os atores comunitários com a unidade territorial do produto turístico do MSVP!
Roteiros das Viagens
As viagens serão realizadas de acordo com os roteiros resumidos descritos a seguir:
Roteiro “Do Grande Sertão ao Peruaçu”
Saída no dia 10/11 e retorno no dia 17/11

1°dia: 10/11- Saída do distrito de Serra das Araras/Arinos. Deslocamento para Itacarambi, com parada para banho e almoço no Refúgio da Vida Silvestre do Rio Pandeiros. Deslocamento para Fabião I. Recepção na comunidade e pernoite.
2°dia: 11/11- Visita ao Roteiro Janelão no Parque Nacional Cavernas do Peruaçu. Almoço em Fabião II. Pernoite e vivência cultural em Fabião II.
3°dia 12/11- Deslocamento para Itacarambi e roteiro do Rio São Francisco. Almoço em Itacarambi e deslocamento para São João das Missões. Recepção e pernoite na Terra Indígena (TI) Xacriabá.
4°dia 13/11- Roteiro local na TI Xacriabá. Vivências e noite cultural. Pernoite na TI.
5°dia 14/11- Deslocamento para comunidade de Candeal, em Cônego Marinho, vivência com artesãs. Deslocamento para Brejo do Amparo/Januária. Roteiro local. Deslocamento e pernoite em Januária.
6°dia 15/11- Evento de fechamento: “Girando a roda: viagem, reconhecimento e trocas no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu”. Januária.
7°dia 16/11- Realização de evento. Retorno para Serra das Araras, após almoço.


Roteiro “Do Peruaçu ao Grande Sertão”
Saída no dia 17/11 e retorno dia 23/11

1°dia: 17/11- Partida desde Januária. Chegada a São João das Missões. Deslocamento para TI Xacriabá. Roteiro local.Vivências culturais. Pernoite na aldeia.
2°dia: 18/11- Partida rumo a Chapada Gaúcha. Almoço Comunidade Palmeirinha.
Deslocamento Chapada Gaúcha. Jantar e noite cultural Ponto de Cultura Seu Duchim
3°dia 19/11- Visita ao Parque Nacional Grande Sertão Veredas. Pernoite em Chapada Gaúcha.
4°dia 20/11- Travessia Buracos-Buraquinhos. Recepção na comunidade de Buraquinhos. Noite de festa. Pernoite em Buraquinhos.
5°dia 21/11- Deslocamento para Serra das Araras, vivência com artesãs. Deslocamento para Januária, com parada na Refúgio da Vida Silvestre do Rio Pandeiros. Pernoite em Januária.
6°dia 22/11- Evento de fechamento: “Girando a roda: viagem, reconhecimento e trocas no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu”. Januária.
7°dia 23/11- Realização de evento. Almoço e city tour em Januária.

O Instituto Rosa e Sertão reserva-se o direito de realizar alterações nos roteiros, em função de ajustes com os prestadores de serviços envolvidos na recepção dos grupos.
Número de Vagas
Serão selecionadas 15 pessoas por roteiro, totalizando 30 viajantes.
Público-alvo
Prestadores de serviços turísticos no território do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu que ofertem serviços de hospedagem, alimentação, vivências ecoculturais e comunitárias.
Guias e condutores de turismo que trabalhem no MSVP.
Operadores de turismo da região do MSVP
Gestores públicos, mobilizadores sociais e demais envolvidos em ações relacionadas ao desenvolvimento do turismo na região.
Participantes de uma ou mais ações desenvolvidas pelo Projeto Turismo Ecocultural de Base Comunitária do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu.
Despesas de viagem
Todas as despesas de viagem (alimentação, hospedagem, transporte, guia de turismo, passeios e vivências) serão custeadas pelo Instituto Rosa e Sertão.
Inscrições
Os interessados devem se inscrever até o dia 02/11/2015, preenchendo a ficha em anexo e encaminhando-a para o seguinte email: rosaesertao@gmail.com, com cópia para juliafcastro@gmail.com.
O interessado deve se inscrever para o roteiro mais distante do local onde mora e onde atua com turismo, de modo que:
·         Os interessados que residem no Núcleo Peruaçu (Itacarambi, Januária, São João das Missões, Manga) devem se inscrever para o roteiro “Do Peruaçu ao Grande Sertão”.
·         Os interessados que residem no Núcleo Grande Sertão (Chapada Gaúcha, Formoso, Arinos, Urucuia e Cocos-BA) devem se inscrever para o roteiro “Do Grande Sertão ao Peruaçu”.
·         Os interessados que residam no Núcleo Pandeiros (Bonito de Minas, Cônego Marinho) poderão se inscrever para ambos os roteiros, escolhendo apenas 1 deles para a inscrição.

Seleção dos Participantes
Os participantes serão selecionados pela coordenação da ação: Instituto Rosa e Sertão e Casa Comum. Para a seleção, serão levados em consideração os seguintes critérios:
1- Atuação na cadeia produtiva do turismo no Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu como:

- Prestador de serviços de hospedagem (hotel, pousada, hospedagem familiar, camping, etc), alimentação (refeições, lanches, doces, cafés, etc)
- Prestador de serviços de condução e guia de turismo (guia de turismo, condutor ambiental, condutor local, operador de receptivo turístico nos destinos do MSVP)
- Colaborador e proponente de projetos, políticas públicas e ações direcionadas ao turismo na região

2- Envolvimento com vivências culturais e atividades de experimentação de técnicas e saberes tradicionais formatadas e direcionadas a visitantes e turistas nos destinos do MSVP
3- Envolvimento com a organização de festejos populares e manifestações culturais que compõem a oferta turística na região

4- Atuação profissional em atividades ecoturísticas e de turismo cultural na região do MSVP

5- Participação em cursos e/ou ações realizados no âmbito do Projeto Turismo Ecocultural de Base Comunitária do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu

Condições de participação

Disponibilidade para participar de toda a viagem de acordo com programação proposta.

Caso exista alguma restrição de datas para participação na viagem, é preciso encaminhar justificativa por e-mail, juntamente com a ficha de inscrição. Não serão aceitas justificativas encaminhadas após a divulgação dos selecionados para as viagens. Nesse caso, o selecionado será substituído por outra pessoa da lista de excedentes.

Será dada preferência a candidatos que apresentarem disponibilidade integral para participar.

Casos excepcionais serão avaliados pela coordenação da ação.

As atividades serão programadas considerando as condições físicas e psicológicas dos participantes, diferenças de idade e outras possíveis particularidades, de modo que todo o grupo possa participar de todas as ações programadas.

Resultado da seleção

A lista com selecionados será divulgada até o dia 04 de novembro de 2015 no blog do Instituto Rosa e Sertão,

Dúvidas
Dúvidas e sugestões devem ser encaminhadas para  os emails: rosaesertao@gmail.com e juliafcastro@gmail.com

Chapada Gaúcha, 26 de outubro de 2015.

Tereza de Jesus Silva dos Santos
Presidenta do Instituto Rosa e Sertão

Damiana Campos
Coordenadora Executiva do Instituto Rosa e Sertão





 

                                              Ficha de Inscrição:




 “Viagem pelo Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu: Reconhecimento dos Roteiros Turísticos pelas Comunidades de Base”


                                                                     
Nome:
Data de Nascimento:
Cidade/Comunidade:
CPF/RG:
Telefone:
E-mail:
1) Viagem de interesse: 
(  ) Grande Sertão Veredas ao Peruaçu
(  ) Peruaçu ao Grande Sertão Veredas


 2) Já participou de algum curso do  Projeto de Turismo de Base Comunitária do MSVP? Qual?





3) Qual é sua profissão? Trabalha com turismo? Tem interesse de trabalhar com turismo comunitário na região? Sim? Explique por quê? 



                                             





 


sexta-feira, 20 de março de 2015

Apresentação do Ponto de Cultura Seu Duchim na V Conferência Municipal de Direitos da Criança e do Adolescentes em Chapada Gaúcha-MG.


Registro fotográfico de elaboração e construção dos peixinhos opará da turma do Ponto de Cultura Seu Duchim, para nossa apresentação na V Conferência Municipal de Direitos da Criança  e do Adolescentes em Chapada Gaúcha-MG.

Tema: " Politica e Plano Decenal dos Direitos Humanos das Crianças e dos Adolescentes: Fortalecendo os Conselhos das Crianças e dos Adolescentes"








 









 O chegou a grande hora da nossa apresentação!!! 
Os coraçõezinhos da turma do Ponto de Cultura estão á mil...



















 Tia Dami babando!



Até a próxima apresentação..... 
Beijos das Tias Daia, Damis, Di e Taty

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

[CONVITE] Encontro “Prosas e Versos por Sagarana: um olhar para dentro”

Encontro “Prosas e Versos por Sagarana: um olhar para dentro”
Sagarana, primeira obra de João Guimarães Rosa, se passa no sertão de Minas Gerais, em um contexto interiorano onde as vidas se encontram e semeiam histórias e afetos em espaços cerrados no Cerrado. O poder e amor encontrados nessa obra estão intimamente ligados às pessoas que constroem seu destino na força de trabalho e na perspectiva de dias melhores pode ser vivenciado em um assentamento no noroeste mineiro cujo nome também Sagarana[1] fortalece vínculos e reciprocidades.
Com intuito de celebrar este lugar e as pessoas que ali vivem que a Estação Ecológica de Sagarana, Crescertão e Instituto Rosa e Sertão convidam para compartilhar momentos, prosas e versos durante o Encontro “Prosas e Versos por Sagarana: um olhar para dentro” que acontecerá nos dias 05 e 06 de dezembro de 2014. Propomos como horizonte a construção participativa de perspectivas de uma Sagarana pautada por propostas voltadas à sustentabilidade, no fortalecimento territorial e na promoção social e cultural.
É nesta toada que as múltiplas vozes se juntarão em busca de uma agenda territorial conjunta e participativa.
A casa está aberta!



[1] O distrito de Sagarana, o segundo assentamento de colonização implantado pelo governo militar no início da década de 70 no Brasil, situa-se ao sul do município de Arinos, há 275 km de Brasília e 700 km de Belo Horizonte. Desde o projeto de criação do assentamento de colonização pensou-se na proteção da Floresta Estacional Decidual na encosta entre o vale e a chapada, sendo protegida legalmente desde 2003 como Estação Ecológica Estadual de Sagarana, com 2.340,00 hectares.



Onde: Salão do Crescertão e Prefeitura Comunitária – Distrito de Sagarana/Arinos
Quando: 05 e 06 de dezembro de 2014.
Como: Por meio de construção coletiva em que os processos culturais de base comunitária sejam fortalecidos.




Programação:

Sexta-Feira, 05 de dezembro de 2014

19h00: Abertura
19h40: Exibição e discussão sobre o curta metragem “Mosaico de Conservação Sertão Veredas – Peruaçu, Cultura e Produção”, da 5ª Mostra Nacional de Produção Audiovisual Independente do Ministério da Cultura e do Ministério do Meio Ambiente.
20h30: “Partilhar alimentos, celebrar a vida”
Momento com a comunidade que, em comunhão, dividirão receitas, pratos e passos de dança.

Sábado, 06 de dezembro de 2014.

09h00: Roda de Prosa: Ciclos de diálogos sobre memória, oralidade e expressões culturais:
Ementa: As expressões artísticas locais são mais que momentos de lazer e oportunidade de convivência comunitária, são também atos de resistência contra a submissão cultural e a perda da memória local. O convívio no entorno das expressões artísticas locais promovem o diálogo e o empoderamento da comunidade de suas expressões culturais mantendo raízes profundas que se entrelaçam no cotidiano da produção familiar, da relação entre vizinhos e do contato com a natureza. A musicalidade, a culinária, as expressões corporais e a produção textual são ritos onde a identidade local se reafirma como portadora de historias, de formas de se relacionar, de sentimentos e comportamentos que particularizam uma visão de mundo comunitariamente compartilhada. O diálogo tem como busca a continuidade dos processos de avaliação e construção do Plano Territorial de Cultura do Mosaico Sertão Veredas-Peruaçu, bem como, alicerçar as bases da elaboração do Plano Municipal de Cultura de Arinos.

12h00: Almoço

14h00: Roda de Prosa: Ciclo de diálogos sobre Sagarana: um olhar para dentro

Ementa: Ouvir quem vivencia é empreitar pelo caminho da compreensão e da incorporação de outro olhar sobre a realidade. Ouvir suas vozes e suas músicas é dar vasão aos pensamentos e impressões que se materializam em prosas, notas e versos. O ouvir pode ser o caminho para formulação do novo, de força motriz endógena por não perder seus laços de amizade e parentesco. Neste diálogo a escuta sensível buscará  perceber as diferentes percepções sobre os projetos e propostas que ocorreram ao longo de 2013 e 2014. 

20h00 Apresentações culturais locais:
Dança do Gamba
Dança do Engenho
Brincadeiras de Roda
Folia de Reis de 4 vozes




Como chegar e quem encontrar.


Alimentação:
As refeições serão realizadas nos estabelecimentos locais como o Restaurante da Dona Maria e o Bar do Guim. Valor médio do jantar: R$15,00
As pernoites poderão ocorrer nas casas dos moradores locais em:
Neguinho
(38) 9986-7478
Argemiro
(38) 9922-3942
Mércia
(38) 9982-4388
Anísio
(38) 9914-4647
Miriam
(38) 9906-4259
Dercílio
(38) 9808-6148
Maria da Ponte
(38) 9919-1485
Neide
(38) 9804-4142
Juvenil
(38) 9912-1972
Geraldo
(38) 9905-6130
Sr. Juvenor
(38) 9932-0801





[1] O distrito de Sagarana, o segundo assentamento de colonização implantado pelo governo militar no início da década de 70 no Brasil, situa-se ao sul do município de Arinos, há 275 km de Brasília e 700 km de Belo Horizonte. Desde o projeto de criação do assentamento de colonização pensou-se na proteção da Floresta Estacional Decidual na encosta entre o vale e a chapada, sendo protegida legalmente desde 2003 como Estação Ecológica Estadual de Sagarana, com 2.340,00 hectares.